As zonas costeiras constituem-se em um perene desafio de gestão em face da diversidade de situações existentes neste território. Além dos já conhecidos, discutidos e nem sempre resolvidos, problemas ambientais incidentes nessa porção do território, atualmente adiciona-se a este cenário a perspectiva de mudanças climáticas, com suas causas e seus efeitos, refletindo a necessidade de adaptação e mitigação dos problemas decorrentes. A definição de riscos e vulnerabilidade em zonas costeiras deve levar em consideração dois aspectos fundamentais: escala de análise e tipo de indicadores utilizados. Estudos dessa natureza devem observar duas escalas: uma macro, onde possam ser indicadas as regiões mais suscetíveis aos efeitos de eventos extremos e outra micro, onde parâmetros relacionados à morfodinâmica e geologia dos ambientes costeiros são fundamentais. Esta linha de pesquisa abarca ambas escalas de trabalho para a definição de riscos e vulnerabilidade das zonas costeiras e marinhas, discutindo metodologias para a identificação de áreas vulneráveis, analisando os processos envolvidos e gerando subsídios para a tomada de decisão.

Produções: clique aqui.